Relato de Parto III

Relato de Parto III

Após uma noite reparadora de sono, era aproximadamente 8hrs da manhã. Estava deitada, conversando com o Rafael, quando percebi que a barriga ficou dura e projetada pra frente, achamos graça!

Em seguida nova contração da mesma forma, virei para o outro lado na tentativa de aliviar a sensação de desconforto e imediatamente senti escorrer um líquido, levantei com a certeza de que era o início do trabalho de parto.

Junto iniciaram contrações espaçadas. Estava em casa… confortável, calma, confiante… entendi e senti que uma sabedoria linda se manifestava em mim.

O Rafael acionou um aplicativo para registrar o tempo entre contrações, duração e intensidade de dor, parecia ser bem interessante, com gráfico “e tudo”, o detalhe é que durou até uma parte da manhã porque gratuitamente registrou 20 contrações, a partir dali só se pagássemos, então começamos a anotar manualmente (hehe).

As contrações foram tornando mais regulares e a intensidade de dor também foi aumentando progressivamente.

Por volta das 12h minha irmã veio com seu bebê ficar um pouco comigo, ajudou a anotar as contrações… o nível de dor estava aumentando bastante.

Lá por 14hrs, ainda em casa, antes da doula chegar, pedi pra minha irmã e marido que fizessem silêncio. Ali a Mela entendeu minha entrada na “partolândia”.

Ela fechou as cortinas para tornar a sala mais acolhedora. As dores estavam intensificadas e precisava me concentrar e me entregar ao processo de parto, as contrações estavam de 5 em 5 minutos, com duração em torno de 40 segundos a 1 minuto.

Uma chuva começou… foi muito confortante! Me senti protegida, agraciada, abençoada!

Em fase latente, o ideal é manter sua equipe de parto informada e permanecer no conforto da sua casa, sentindo a evolução, até entrar em fase ativa do trabalho de parto. É possível perceber as mudanças pelo ritmo das contratações, aumento da intensidade de dor e pelo próprio comportamento.

Saber o que está acontecendo evita internamento precoce e cascata de intervenções! Como doula, ajudo o casal a sentir este “termômetro”….

(escrito por @doulabrunabardini – março de 2015)

Deixe uma resposta